Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Gato de loiça

Meu amigo, se chegaste até aqui, os meus parabéns, mas devo já confessar-te que daqui não sairão textos eloquentes, histórias de encantar e palavras bonitas. Se quiseres fica e lê, sê bem vindo.

Gato de loiça

Meu amigo, se chegaste até aqui, os meus parabéns, mas devo já confessar-te que daqui não sairão textos eloquentes, histórias de encantar e palavras bonitas. Se quiseres fica e lê, sê bem vindo.

O Rocha e as boas ideias

Março 31, 2018

gatodeloiça

Já ouviram falar do Fernando Rocha, certo?

Aquele comediante que diz muitos palavrões à mistura, no meio das anedotas?

Pois é, palavrões ou não, que naquele contexto não me chocam, adoro-o. Adoro as suas piadas e parvoíces à mistura.

Pois é, não venho fazer aqui nenhuma publicidade ao Fernando Rocha, quem gosta gosta, quem não gosta, temos pena.

Adiante, uma coisa que é de louvar, é que reverteu as receitas de um dos seus espetáculos, e aí é que vem o meu tema propriamente dito, para um parque infantil nos EUA.

Banal, pensarão! 

O que é interessante neste parque é que é destinado para crianças com deficiência! E isto é que é interessante!

Não fazia ideia que existiam! Pelos menos em Portugal, desconheço. Existe para cães, mas para crianças com deficiência era uma ideia interessante de ser implementada cá!

Porque é que as crianças com deficiência, privadas de algo à partida, não poderão também usufruir de algo tão natural como andar de baloiço???

Estou "apaixonada" pelo meu miúdo de quatro anos

Março 27, 2018

gatodeloiça

Confesso que adoro o meu puto! É uma lufada de de ar fresco que entra pela minha casa adentro e na minha alma.

Sempre pronto, a dizer as coisas mais giras e impensáveis, a partir das combinações que cria através do seu pequeno vocabulário, que se exprime muito bem, ou a puxar-me para o disparate ou brincadeira.

Os pequenos passeios, desde ir buscá-lo à escola até chegar a casa, convertem-se em pequenas grandes aventuras!

Desde querer ir no elevador sozinho, e eu que vá a pé, só para andar a subir e a descer à sua vontade, só para ir ver os homens ( das obras), ou ir ver a vizinha. Depois como se perde, lá vem a vizinha trazê-lo à minha porta ou tenho que lá ir buscá-lo.

Ou falar com a " sapateira", vizinha que tem uma sapataria e desarrumar-lhe os sapatos enquanto fica à conversa com ela.

Gosta de toda a gente, não é esquisito, é apenas feito de boa disposição!

Gosta de ir atestar o carro comigo, ir às compras, não gosta de dormir sem chucha, porque a perdeu, não gosta de couves, quer as luzinhas a piscar para dormir, quer que  leia o livro do " João paqueca" ( pateta) ou o das bruxas, ou porque eu faço batota a jogar, ou faz ele......são muitos ous...

Faz flexões na arca dos gelados na bomba de gasolina, abana a máquina dos sumos e escolhe um chupa verde, que era igual ao de trás, mas embirra que tinha que ser aquele. Tudo se converte no mais interessante, saindo do banal ou da rotina habitual dos adultos. Porque através do seu parco vocabulário, cria frases fabulosas, que sendo  consideradas aceitáveis ou não em sociedade, vai experimentando as diferentes combinações, tornando tudo mais interessante e divertido!

Realmente quem tem filhos, nunca mais tem uma vida igual à anterior. Quem tem filhos tem uma vida mais feliz, cheia de peripécias e em pequenos minutos, ou segundos, em qualquer espaço, tudo muda!

Um dia li,  algo que se traduzia mais ou menos isto:  gosto das crianças porque não têm qualquer problema de revirar as nossas vidas tão certinhas e darem um novo fôlego! Desarrumam, colocam a vida de qualquer um de pernas para o ar.

E se não fossem elas, que vida monótona que era!

Brincar como as crianças

Março 09, 2018

gatodeloiça

Hoje tive uma tarde como há muito não tivera. Andei a brincar com os putos às escondidas! Fez-me recordar os tempos em que era da idade deles e organizava brincadeiras como estas! Divertimo-nos imenso! 

Desde escondermo-nos atrás de um bidão, na arrecadação ou dos arbustos, vale tudo, desde que seja para não nos descobrirem!

E não é que podemos outra vez regressar à infância, tendo filhos ao nosso lado?

Melhor viagem no tempo não pode haver!

Os putos de hoje em dia

Fevereiro 18, 2018

gatodeloiça

A sociedade mudou muito. Principalmente em relação aos miúdos de hoje em dia. Quando antigamente os nossos pais diziam não, era NÃO, agora o não dos pais, para eles é um TALVEZ.; ou seja, surge como uma plataforma de negociação, em que o não se pode transformar num SIM.

A minha filha inclusive, uma vez contou-me que via como os miúdos conseguiam as coisas, quando os pais ou os professores diziam NÃO, eles lá pedinchavam ou lá chateavam quem tinham que chatear, e os adultos, provavelmente para os calar, acabavam por dizer o SIM.

Os miúdos de hoje em dia não têm pudor, nem problema de questionar-nos, correta ou incorretamente, acham que têm palavra a dizer em tudo, e que a palavra de uma criança, vale tanto ou mais que o dos pais. Na ótica deles, eles é que sabem, eles é que têm razão, e se for preciso, quando lhes dizemos não, acham que são uns coitadinhos, a quem lhes negamos algo imprescindível à sua alegria e felicidade.

Claro que entre os meus alunos, há sempre quem tenha esta estratégia mais desenvolvida, e asseguro-vos cada vez tem mais adeptos.

É importante que os pais façam prevalecer a sua palavra, e que façam perceber aos miúdos quem manda nas regras do jogo são os pais e ao contrário do que algumas pessoas possam pensar, não é preciso andar a justificar a toda a hora.

Mais um post sobre a Supernanny

Janeiro 16, 2018

gatodeloiça

Mais um post, este com a minha opinião. Cá vai.

Confesso que não vi o programa, mas li as críticas.

Contudo vi o programa, penso que dos mesmos formatos de outros países.

E gostei, gostei de ver como a psicóloga que entrava naquele meio familiar, fornecia orientações simples que os pais  seguiam, com persistência e firmeza, e as relações e ambiente familiar melhorava consideravelmente!

Era positivo para todos! Até a criança andava mais segura e feliz!

As crianças adquiriam regras, que já deviam ter sido adquiridas há muito tempo, mas que não foram, daí os maus comportamentos. Regras essas que não foram  fornecidas pelos pais em tempo oportuno. 

Em relação às criticas relativas à exposição familiar, principalmente da criança, isso não há dúvida que há.

 Os pais pedem ajuda para resolver problemas que já ultrapassaram os seus limites! Lembro-me de ver os outros programas e ver pais em completo desespero!!!! Alguns a chorar, outros sem dormir dias seguidos, e consequentemente afetava toda a vida familiar. Que os putos fazem das suas, já nós sabemos, o problema é quando não conseguimos reverter  a situação atempadamente, pois o problema encontra-se muito enraizado e começa o descalabro!

Eu penso que o objetivo do programa é ajudar pais em desesperados!!! Que muitas vezes não sabem como lidar com o assunto, protelando as situações e piorando-as.

Nem toda a gente têm dinheiro para consultas de psicologia para resolver a situação!

Ora como pais, não sabemos tudo, e por vezes erramos pelo caminho, ou sendo permissivos ou autoritários demais,a solução quanto a mim, está sempre no meio termo.

Não sei se o programa terá sucesso, porém penso que tem potencial, poderá é ter algumas grandes imperfeições que poderão ser melhoradas, e se objetivo é ajudar os pais desesperados, que tal colocarem o programa a outras horas, visto que é um programa para pais, adultos, e não propriamente de natureza familiar, e protegerem a identidade das crianças?

Talvez o objetivo do programa seja concretizado, que é ajudar os pais, e ao mesmo tempo salvaguarda-se a identidade da criança ou da família.

Ai já desviava-se a atenção sobre aquela família em si, concentrando-nos apenas no problema, que talvez se reverão  imensas famílias no país.

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2020
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2018
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D