Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Gato de loiça

Meu amigo, se chegaste até aqui, os meus parabéns, mas devo já confessar-te que daqui não sairão textos eloquentes, histórias de encantar e palavras bonitas. Se quiseres fica e lê, sê bem vindo.

Gato de loiça

Meu amigo, se chegaste até aqui, os meus parabéns, mas devo já confessar-te que daqui não sairão textos eloquentes, histórias de encantar e palavras bonitas. Se quiseres fica e lê, sê bem vindo.

Sex | 09.03.18

Puttin, Trump, e Kim Jong-Un

gatodeloiça

Sempre que oiço notícias destes senhores, sobre querem a supremacia na governação do mundo, lembra-me os miúdos quando estão a jogar ao berlinde.

Começam  a jogar felizes e contentes e depois passado algum tempo começam a entrar em despique; entrando em competição  a ver quem joga mais e melhor, de seguida começam a chatear-se pois começam a perder e não gostam de perder. Ficam frustrados e o seu ego corrompe-se. Começam com as batotas e maroscas de todos os tamanhos e feitios, e no fim acusam que o outro é que tem culpa.Para eles aquilo é tudo, vale tudo, para mostrar quem manda mais e pode mais. Isto parece-me que é como "jogam" os senhores que citei em cima.

Perderam a essência do que é um jogo: é um jogo e ponto final. Já as crianças, embora possam ter algumas nuances parecidas, tiveram prazer em jogar e acabou a história, e para a próxima jogarão outra vez, para estarem juntos e divertirem-se .

Isto será a definição de jogo, visão saudável para as crianças. 

Já para os senhores que mencionei acima, a visão do jogo está distorcida, pois querem ganhar a todo o custo, indo até longe demais, mostrando as suas novas armas químicas ou nucleares, nem sei bem, mostrando quem pode mais, e qual deles tem a arma maior e mais potente, e aí de ti se te metes comigo!

O que eu fico a pensar é: como cidadãos do mundo do século XXI ainda não aprendemos nada com o passado? Passou-nos ao lado as guerras sangrentas, por dá cá aquele pedaço de terra pois quero ter mais?

Quem sofre nunca são eles, são os outros que vão lutar pela sua alçada, às vezes não sabendo bem por que causas nem para quê, satisfazendo apenas os caprichos de meia dúzia de senhores.

Então não deveríamos era andar a promover a paz? Não era ou não é esse o objetivo?

Ou andaremos sempre nas mãos de "senhores" que não sabem o que querem e apenas se divertem à custa dos seres humanos mais fracos?

 

2 comentários

Comentar post