Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Gato de loiça

Meu amigo, se chegaste até aqui, os meus parabéns, mas devo já confessar-te que daqui não sairão textos eloquentes, histórias de encantar e palavras bonitas. Se quiseres fica e lê, sê bem vindo.

Gato de loiça

Meu amigo, se chegaste até aqui, os meus parabéns, mas devo já confessar-te que daqui não sairão textos eloquentes, histórias de encantar e palavras bonitas. Se quiseres fica e lê, sê bem vindo.

Seg | 29.01.18

Os quarentas

gatodeloiça

Alguém disse que a partir dos quarenta ou quarenta e cinco, mais coisa menos coisa, que mudávamos.

Constato afirmativamente.

Ou seja, o que antigamente considerávamos borga e diversão a valer, que era sair à noite, andar de discoteca em discoteca, a ouvir música aos altos berros, com a malta atrás, até altas horas da madrugada, substitui-se por a noite virou dia literalmente.

Agora chega a uma certa hora, o pessoal quer ir para casa descansar, quer ir ver o seu programa preferido e vestir o pijama. O pessoal agora adormece antes de começar a ver o dito programa, ou logo no início de comando na mão.

O pessoal agora levanta-se cedo, fruto dos hábitos diurnos do trabalho e das crianças que entretanto teve, e não consegue dormir para além das oito.

O pessoal agora gosta de aproveitar o dia, o sol, a natureza e dar um passeio ao parque ou à praia.

O pessoal substituiu a discoteca pela esplanada de praia ou outra e conversa amenamente com colegas ou amigos, ( sem os gritos na discotecas, pois não se consegue fazer ouvir).

O pessoal dos quarenta, abrandou, tenta aproveitar a vida de outra maneira: vai a exposições, quer interagir culturalmente, reflete, tem pensamento crítico, e não vive como se o dia fosse acabar amanhã.  Fogem das discotecas ou bares da moda.

O pessoal dos quarenta gosta de desafios, quer aproveitar a vida, mas sobretudo: quer sossego, vive de outra maneira.