Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Gato de loiça

Meu amigo, se chegaste até aqui, os meus parabéns, mas devo já confessar-te que daqui não sairão textos eloquentes, histórias de encantar e palavras bonitas. Se quiseres fica e lê, sê bem vindo.

Gato de loiça

Meu amigo, se chegaste até aqui, os meus parabéns, mas devo já confessar-te que daqui não sairão textos eloquentes, histórias de encantar e palavras bonitas. Se quiseres fica e lê, sê bem vindo.

Sab | 17.03.18

O adeus

gatodeloiça

é a única coisa que é sempre para sempre.

É daquelas coisas que não há volta a dar, mesmo que queiremos que a realidade fosse outra.

Não é, é aquela e nada mais.

Se ainda andámos por caminhos transitórios que nada revelavam no seu presente, então é porque esse presente é sinónimo de futuro e não de apanágio de dias diferentes.

Foram das ações passadas nossas e dos outros que nos conduziram aonde estamos nesse mesmo caminho, nesse ponto onde nos encontramos agora.

Se voltámos atrás milhentas vezes percorrendo os mesmos percursos , é porque as lições que nos trouxeram até ao ponto onde nos encontramos não foram bem aprendidas, consolidadas. Mas a vida ou a experiência acaba por nos mostrar a realidade, o panorama, a paisagem que não muda e é sempre a mesma.

Se queremos mudar de paisagem, e não estagnar, mais vale que seja apenas com os nossos sonhos, mesmo que alguns fiquem pelo caminho ou os reservemos para ocasiões que se possam concretizar. Ficam guardados numa gaveta; se voltar a abrir que seja por algo verdadeiro e único, genuíno e concretizável e não apenas sonho de um.

Mudar de rumo não é mau, é bom, é como se estivessemos na faixa errada mas não víssemos o quanto nos estagna e não nos deixa avançar.

E avançar é o nosso propósito é o nosso caminho. É engraçado que à medida que avançamos na vida, vamos levando menos bagagem desnecessária, essa acaba por ficar para trás, pois não nos permite avançar e seguir o nosso caminho.

Que a vida nos surpreenda, ou se assim não for é porque não teria que ser. Porém há sempre outros sonhos na gaveta que podemos concretizar, que estão mais ao nosso alcance e esses poderão tornar-nos mais felizes.