Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Gato de loiça

Meu amigo, se chegaste até aqui, os meus parabéns, mas devo já confessar-te que daqui não sairão textos eloquentes, histórias de encantar e palavras bonitas. Se quiseres fica e lê, sê bem vindo.

Gato de loiça

Meu amigo, se chegaste até aqui, os meus parabéns, mas devo já confessar-te que daqui não sairão textos eloquentes, histórias de encantar e palavras bonitas. Se quiseres fica e lê, sê bem vindo.

Dom | 28.01.18

As sete vidas do gato

gatodeloiça

Acredito que temos sete vidas como o gato, ou mais.

Quando somos crianças, e ainda estamos a contactar com o mundo pela primeira vez, com as primeiras impressões da vida, com os pais que são a nossa primeira referência e até os primeiros amigos da escola, temos uma vida. Na adolescência outra, com os primeiros amores, na fase adulta, que penso que estancamos mais tempo, várias e na velhice outra.

Em cada fase, vamos construindo um bocadinho o nosso eu, com as experiências que vamos adquirindo e pessoas que vamos conhecendo pelo caminho. A isso se chama crescimento e evolução. Sempre que saímos de uma " vida" , a nossa estrutura poderá ser ou ficar mais frágil à entrada da etapa seguinte, pois não conhecemos muito bem as transformações que irão suceder. Não morremos necessariamante, mas algo em nós morre, e algo em nós permanece, para dar entrada à fase seguinte. Algo que nos permite criar uma nova plataforma, ou adaptação para a fase seguinte. Porém a vida empurra-nos e lá vamos construindo novas fases, novos eus pela vida fora. Às vezes poderá acontecer haver marcos importantes na nossa vida que em si, que despoletem ou causem também, novos recomeços, novos eus, que não estávamos à espera, mas que temos que fazer face aos mesmos, por exemplo, coisas que acreditávamos piamente antes, deixam de fazer sentido, concertando dentro de nós entre o antes e o depois.

Nunca somos os mesmos, estamos sempre em constante mutação. Transformação.

2 comentários

Comentar post