Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Gato de loiça

Meu amigo, se chegaste até aqui, os meus parabéns, mas devo já confessar-te que daqui não sairão textos eloquentes, histórias de encantar e palavras bonitas. Se quiseres fica e lê, sê bem vindo.

Gato de loiça

Meu amigo, se chegaste até aqui, os meus parabéns, mas devo já confessar-te que daqui não sairão textos eloquentes, histórias de encantar e palavras bonitas. Se quiseres fica e lê, sê bem vindo.

Sex | 29.12.17

As redes sociais

gatodeloiça

E quem é que hoje em dia não usa as ditas redes???

Todos. Quase todos.

Tive o prazer de ler hoje um artigo que falava no impacto negativo das ditas. Até aí já eu desconfiava há muito tempo, não era preciso ler o artigo. Qualquer pessoa que tenha dois dedos de testa, sabe que comunicar com alguém e construir um relação baseada no que for, seja mais superfial ou não deve comunicar face a face. Pelos vistos, aquela coisa de olhar olhos nos olhos, tem mesmo importância, como cita um diretor da Licenciatura de Ciências de Comunicação. Adiante, não foi apenas o tal senhor que colocou em causa o impacto que tem as redes sociais na comunicação humana, outros que também ajudaram a construir os impérios das ditas, como por exemplo do facebook, vieram dizer o mesmo.

Mas até aí já sabíamos, ou seja quem é que inventa um dispositivo que coloca as pessoas a falar através de texto ou imagens, com 90% das pessoas que não as conhecemos de parte alguma; quando já existiam mecanismos que cobriam esse efeito, como por exemplo a carta, que está em vias de extinção, o email, que mesmo assim mal se usa para comunicar com as pessoas mais chegadas, ou mesmo o telefone?

Sim, esses dispositivos existiam para encurtar distâncias e marcar-se os encontros.

Agora não, temos um aparelho minúsculo, e metade das vezes usamo-lo para parvoíces desnecessárias, e falamos com pessoas que não conhecemos de parte nenhuma, perdendo a noção de tempo ali dispendido.

Como tudo, isto pode ver-se em duas perspetivas: na positiva e na negativa.

Será negativa, quando deixamos relações reais de lado, às vezes sentados na mesma mesa, para gastarmos tempo infinito com outras tretas que não nos acrescentam.

Por outro lado, há também o lado positivo da coisa, é que nunca foi tão fácil termos acesso a informação e contactarmos com mundos ao lado que nos possam acrescentar.

Também para quem expõe seja o que for, seja conteúdos escritos, ou trabalhos, nunca foi tão fácil mostar ao mundo.

Ou seja, é como tudo: é usar as tecnologias de forma construtiva, para o nosso bem e para os outros.

E isso é possível.