Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Gato de loiça

Meu amigo, se chegaste até aqui, os meus parabéns, mas devo já confessar-te que daqui não sairão textos eloquentes, histórias de encantar e palavras bonitas. Se quiseres fica e lê, sê bem vindo.

Gato de loiça

Meu amigo, se chegaste até aqui, os meus parabéns, mas devo já confessar-te que daqui não sairão textos eloquentes, histórias de encantar e palavras bonitas. Se quiseres fica e lê, sê bem vindo.

A questão da empatia

Janeiro 30, 2018

gatodeloiça

Há dias li uma notícia de uma menina que tinha uma doença rara, e que os colegas de escola maltratavam-na, apelidando-a de "alien", pois a doença deformava-lhe o rosto.

A mãe achava que os colegas eram extremamente cruéis em relação à filha, mas o que lhe custava mais eram os comentários dos adultos, pois davam-lhe a ideia do " coitadinho".

Por um lado concordo, ouvirmos a toda a hora a história do coitadinho, também cansa, ou seja as coisas são como são, há que aceitá-las.

Admiro a coragem da mãe em aceitar a questão com tanta normalidade, mas será que dizer " coitada, pela situação", é assim tão mau????

Quando vejo que alguém está a passar por um mau bocado, também digo " coitado(a)", para mim, é uma questão de empatia, ou seja compreendo a tua situação e pelo que estás a passar.

É assim tão mau, mesmo que a atitude da mãe seja "ultra -moderna", sentirmo-nos vítimas das situações?

Eu penso que não, mesmo connosco, quando algo corre mal, tendemos a lamber as feridas, como que " há-de passar, há-de tudo correr bem", não significando que estejamos presos nessa autocompaixão, ou auto piedade para sempre.

 

 

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2018
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D