Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Gato de loiça

Meu amigo, se chegaste até aqui, os meus parabéns, mas devo já confessar-te que daqui não sairão textos eloquentes, histórias de encantar e palavras bonitas. Se quiseres fica e lê, sê bem vindo.

Gato de loiça

Meu amigo, se chegaste até aqui, os meus parabéns, mas devo já confessar-te que daqui não sairão textos eloquentes, histórias de encantar e palavras bonitas. Se quiseres fica e lê, sê bem vindo.

Dom | 07.01.18

A beleza perdida

gatodeloiça

Hoje a minha mãe faz anos.

Resolvi preparar-lhe uma surpresa e desenhar-lhe um retrato quando tinha os seus 20, uma forma de relembrar como era bonita quando era jovem. Algo que sei que ia gostar muito.

Sei que relembra com saudade, como se fosse algo que fosse dela e que tivesse perdido pelo caminho, como se já não pudesse recuperar.

Como um comboio que parte e já não volta.

Penso que quando somo mais jovens não pensamos muito nisso, eu não penso ainda, mas um dia haverá em que olhemos para o espelho e não nos reconheçamos.

" Quem é este, ou esta, afinal?"

Talvez, algures na nossa vida, provavelmente mais jovens, cristalizemos a imagem que temos, numa certa idade, e imaginando que será esta para sempre e que não viremos a ter mais nenhuma posteriormente.

É aquela, a que nos sentimos confortáveis, aquela que nos revemos.

Mas até essa ideia que temos é errônea, como confirma o tempo passado em vida.

Não temos apenas uma imagem, já tivemos muitas e se ainda vivermos, iremos ter muitas mais.