Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Gato de loiça

Meu amigo, se chegaste até aqui, os meus parabéns, mas devo já confessar-te que daqui não sairão textos eloquentes, histórias de encantar e palavras bonitas. Se quiseres fica e lê, sê bem vindo.

Gato de loiça

Meu amigo, se chegaste até aqui, os meus parabéns, mas devo já confessar-te que daqui não sairão textos eloquentes, histórias de encantar e palavras bonitas. Se quiseres fica e lê, sê bem vindo.

Não gosto de ti!!!!

Dezembro 11, 2018

gatodeloiça

Não temos que gostar de toda a gente, nem toda a gente tem de gostar de nós, isso é ponto assente.

Há pessoas que preferem que lhes digam na cara o que pensam de si.

Eu não, prefiro que guardem para si.

Se as pessoas têm com a ideia de serem honestas com o outro dizer-lhes o que lhes passa pela cabeça, só porque sim, muitas vezes com o intuíto de magoar, isso chama-se ser-se sincero ou bruto, sem educação alguma?

Eu prefiro a versão light, que me digam as coisas, assertivamente, explicando-me muito bem os comos e os porquês.

Lá porque uma pessoa possa não " ir com a nossa cara", significa que essa é a representação que tem de nós, podendo não corresponder à realidade concreta e totalmente conhecida. Muitas vezes só deixamos ver o que queremos, e nem sempre na minha profissão é me permitido mostrar o meu lado divertido e entusiasta. Mostramos o lado profissional, a função que nos compete. Nem sempre há a possibilidade de mostrar o nosso outro lado, nem sempre nos ficam a conhecer.

Quando há margem para isso, sim, mostramos mais um bocadinho de nós.

Mas nem sempre.

E ontem dei por mim

Dezembro 10, 2018

gatodeloiça

a pensar que a vida é parecida com uma composição que uma aluna minha escreveu.

Consistia no seguinte tema: descreve uma viagem que tenhas feito, a pé, de carro ou de transporte público que tenha ficado gravado na tua memória. Dentro de muitas que li, encontrei esta, que considero que foi deveras engraçada, ou irónica, por assim dizer.

Reporto sucintamente o texto: a aluna e a sua família queriam ir ver um espetáculo no Palácio Monserrate, em Sintra, que começava pelas 16h30. Para o espetáculo, deslocaram-se de carro, quando a meio do trajeto, ficaram sem gasolina, ficando apeados portanto. Em seguida, procuraram uma paragem de táxi, que no meio do trajeto, furou um pneu. Como o taxista não sabia mudar o pneu, ficaram apeados novamente. Decidiram ir a pé, quando de repente apareceram uns conhecidos e lhes dão boleia. Entretanto os conhecidos deram-lhes boleia até à paragem de autocarros mais próxima, sendo que só havia camioneta daí a 30 minutos. Esperaram. Quando  saíram do autocarro, pensando que já estariam perto, ainda tiveram que ir um bom pedaço a pé. Se chegaram? Chegaram, mas no meio disto tudo, já não me lembro se chegaram a tempo e horas para ver o dito espetáculo. ( Hei-de lhe perguntar)

Comparando com a vida, é mais ao menos isto, queremos ir sempre em frente, e por vezes damos connosco, noutras paragens, umas mais agradáveis, outras menos, que nos desviam do percurso original.

A lista

Dezembro 08, 2018

gatodeloiça

Vi uma coisa interessante no instagram.

Talvez vos possa interessar:

Façam uma lista de coisas que façam todos os dias, depois façam uma segunda lista de coisas que gostam de fazer.

Comparem as listas.

De seguida, introduzam algumas coisas na primeira lista das coisas que gostam de fazer.

Fica o dia melhor. Agora atenção! Se calhar fazer bungee jumping em dias de semana, não dá!

A utilidade dos sonhos

Dezembro 07, 2018

gatodeloiça

Ou de sonhar.

É certo que os sonhos transportam-nos para um imaginário só nosso, muito particular, que nem sempre a realidade alcança, ficando apenas a coagitar no nosso imaginário.

E é certo que temos que ter os pés no chão, não vá imaginarmos uma coisa e depois quando nos deparamos com a realidade que é outra, ficamos muito tristes, dececionados ou desiludidos.

Mas para além desses ses, ou mas, têm uma vertente positiva: a de sonhar, a de transpôr o nosso mundo para outro, para o além de , para além do que é, para além do que os nossos olhos veem.

Para além destas capacidades, têm ainda outras: a de nos dar alento, quando a nossa realidade é mais estreita, ou o presente é estanque.

Conseguem projetar-nos num futuro, que espectável ou não, nos dão alento, ou forças para continuar ou projetar um futuro mais risonho.

E eis que

Dezembro 05, 2018

gatodeloiça

chegamos a uma altura da nossa vida e reparamos que deixámos de ter vida própria, os problemas do trabalho não ficam à porta de casa: infelizmente ou felizmente temos as nets e afins, que nos obrigam a resolvê-los em casa, portanto é difícil ficarem lá fora. Já não sossego como antigamente, ou seja : trabalho é trabalho, o resto é o resto.

Esperam sempre que o que não ficar resolvido no espaço físico do trabalho, continuemos em casa, sejam fins de semana e assim. Uma tristeza. Por causa das ditas nets, não há limites para quem nos impõe o trabalho, querem que fique feito, não há como esperar pelo dia seguinte.

E é isto. Infelizmente não tenho tempo por andar por aqui e diga-se de passagem em lado nenhum.

Confesso sou uma das novas escravas do trabalho. Transformaram-me. Não é que esteja feliz, não estou. E para o ano que vem, se Deus quiser, já não me apanham por ali.

Por isso, agradeço aos poucos que ainda gostam de me ler e que os possa fazer companhia, e lamento nem sempre responder ou ler aos seus comentários. 

Os mails que ainda leem, foram feito há mais ou menos um mês.

 

Um beijinho e um bem-haja.

Usar óculos

Dezembro 01, 2018

gatodeloiça

Nunca na vida usei óculos.

Agora com 43, já não safo. Desde os 42, mais coisa menos coisa, foram-me receitados para ler, pois já não tenho a mesma facilidade para ler letras que agora considero minúsculas.

E o maior mal é que agora quase que não prescindo deles, exceto para andar na rua .

Estranho.... uma coisa que não fazia parte de mim, na minha quase total existência, agora de um ano para cá, quase não posso viver sem eles!

Que irritação! Mas que fazem falta, fazem!

O maior problema que noto, é que por tudo e por nada se sujam, temos que andar sempre a limpá-los ou passo o dia atrás deles!

 

Quem usa por aqui?

Pág. 2/2

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2020
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2018
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
Em destaque no SAPO Blogs
pub